JUNTE-SE AOS NOSSOS SEQUIDORES !!!

Á MAIS VISITADA E COMENTADA DA SEMANA

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Aumenta número de mulheres mortas em acidentes de moto



 


O número de motociclistas aumenta e também o de acidentes graves. Em 14 anos, o número de mulheres mortas cresce 16 vezes.

O número de acidentes com motos acelerou. Um mapa feito pelo Ministério da Saúde mostra quem são as principais vítimas. O resultado é surpreendente: as mulheres estão em número cada vez maior nessa estatística.

É uma lógica cruel. Aumentou a frota de motocicletas, aumentou o número de mulheres pilotando motos e, infelizmente, aumentou o número de acidentes com as mulheres. É lógico e é preocupante. Onde a fiscalização foi maior, segundo o governo, os acidentes diminuíram.

A dona de casa Giselda Lima Almeida é motociclista há dez anos. Já fez várias viagens. “Está na veia, está no sangue. Então, gostei. É questão de aventura. Eu gosto de sentir o vento soprando perto de mim”, comenta a dona de casa.

Ao todo, 25% das motos vendidas hoje no país foram para mulheres, segundo dados dos fabricantes. Aumentou o número de motociclistas nas ruas e aumentou também o número de acidentes graves com elas. O Ministério da Saúde analisou o período de 1996 a 2010 e chegou a uma conclusão.

“Embora nós tenhamos ainda menos mulheres com motos que homens, o aumento de óbitos foi 16 vezes entre as mulheres e 13 vezes entre os homens. São mulheres que estão fazendo atividade de trabalho no meio rural. É menos uso de moto para atividade de lazer ou atividade esportiva”, alerta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Os homens continuam sendo as maiores vítimas, a maioria com menos de 40 anos. Entre os motivos dos acidentes, estão excesso de velocidade, embriaguez e imprudência. Em Goiás, um problema comum nas ruas aumenta o risco. “O condutor não é habilitado”, diz um policial. “Precisa, mas a gente não tem”, alega um motociclista.

De cada dez motoristas flagrados sem habilitação no estado, nove são motociclistas. O Detran planeja um curso específico para treinar cidadãos de baixa renda. Segundo estudo do governo federal, 58% dos acidentes acontecem em pequenos municípios. No hospital em Guaranhuns (PE), a enfermaria vive lotada. Só em janeiro, foram 306 atendimentos. O caso é considerado um problema de saúde pública.

O aposentado José Inácio Almeida é um motociclista cuidadoso, mas já viu o filho cair da moto e dá um conselho. “Para quem pilota moto, é muito importante que tenha receio da moto. Assim ele se torna mais cuidadoso e mais prudente”, recomenda.



G1

2 comentários:

  1. Grupo de WhatsApp acidentes mortais deixa seu contato. Ou fala comigo FB DDD 11 94027.9856

    ResponderExcluir
  2. Grupo de WhatsApp acidentes mortais deixa seu contato. Ou fala comigo FB DDD 11 94027.9856

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...