JUNTE-SE AOS NOSSOS SEQUIDORES !!!

Á MAIS VISITADA E COMENTADA DA SEMANA

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Morada Nova - Ce: Candidato a prefeito é acusado de calote milionário

 http://www.robsonpiresxerife.com/blog/wp-content/uploads/2010/12/dinheiro-pelo-ralo.jpg
                                              Foto  Inlustração
 
 
Dívida de empréstimo bancário que já soma R$ 41 milhões levou o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) a entrar com ação pedindo a execução de título extrajudicial de seu devedor. A sequência de sete créditos milionários não pagos foi feita em nome de três empresas - todas de propriedade de José Vanderley Nogueira, candidato do PT à Prefeitura de Morada Nova, na região do Vale Jaguaribano.
O caso foi levado à Justiça depois que a instituição bancária determinou o pagamento dos valores em pelo menos três situações. Diante da evidência de calote, dois juízes que atuam no Fórum da comarca de Limoeiro do Norte expediram despachos judiciais ordenando que o candidato a prefeito inadimplente pague a dívida, sob pena de penhora de seus bens.
Transcorridos 110 desde o primeiro despacho, Nogueira não teria devolvido nada do valor retirado no BNB. Por meio de embargos, o devedor adiaria o pagamento desde maio.
Segundo os autos do processo, os empréstimos começaram a ser feitos em 2010. Em dois anos, o candidato petista fez sete tomadas no BNB. O menor deles, no valor atualizado de R$ 941.465,27. O maior, retirado em agosto de 2010, soma hoje R$ 28.653.202,02.
 
Hipoteca
O POVO teve acesso aos processos. Quando Vanderley Nogueira fez o primeiro empréstimo bancário, apresentou como hipoteca dois terrenos em Limoeiro do Norte. Um deles, avaliado em 2010 em R$ 12,196 milhões. O outro lote estaria estimado em R$ 965 mil, segundo documento do próprio BNB.
Na descrição das propriedades hipotecadas, no entanto, consta que o terreno de maior tamanho possui 22 mil metros quadrados. O segundo somaria 965,42 metros quadrados. Em contato com um corretor imobiliário, O POVO apurou que lote de terra nessas dimensões jamais poderia custar os valores descritos na avaliação que autorizou as operações bancárias. Os valores estariam pelo menos dez vezes acima do preço real do metro quadrado na região.
Em junho deste ano, O POVO publicou série de matérias mostrando que negócios feitos com o BNB viraram alvo de investigação da Controladoria Geral da União (CGU), Polícia Federal e da Procuradoria da República no Ceará. Afastado da Gerência de Negócios da Agência Centro do BNB, o gerente envolvido no caso também era investigado por autorização ilegal de financiamentos.
Procurada pelo O POVO, a assessoria de comunicação do BNB disse que não poderia comentar as operações feitas pelo candidato “por estarem regidas pela legislação que protege o sigilo bancário”.
Durante dois dias, O POVO também tentou conversar com José Vanderley Nogueira, por meio de ligações efetuadas a um telefone celular disponibilizado pela Executiva Estadual do PT. No primeiro dia, as diversas chamadas não foram atendidas. No segundo dia, por três vezes, o número chamou, sem que fosse atendido. Posteriormente, as ligações caíram em caixa postal. Nenhum outro contato do candidato foi disponibilizado à reportagem.
 
E agora

ENTENDA A NOTÍCIA
A situação levou à execução de título extrajudicial após o candidato deixar de pagar a dívida. A consequência é a penhora de tantos bens do candidato quantos forem necessários para garantir a quitação da dívida.
 
 
O POVO
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...